quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

2018 is On... vamos que vamos!

Estamos começando mais um ano, ciclos que se renovam. Como atleta e também empreendedor no voo livre, tanto em abordagens quanto em equipamentos, renovam-se as energias para enfrentar os desafios novos ou não que estão por vir.
Como atleta, continuo firme como nunca na abordagem do Trekking & Fly e esse meu encontro com uma prática tão intimamente ligada às origens de nosso esporte me recarregou para muitos mais anos no paragliding buscando novos desafios e realizações.
Como empreendedor, buscarei o estabelecimento da marca LittleCloud no Brasil com um trabalho sério e profissional mantendo a estratégia resiliente e transparente de oferecer ao mercado uma opção diferente para o relacionamento com o voo e as montanhas de maneira integrada e segura.
A campanha de preços de Natal LittleCloud Brasil deus os resultados esperados e se encerrou dia 1o de Janeiro. Fiquem ligados nas próximas campanhas e aproveitem.

A novidade neste início de ano é o meu retorno às competições de parapente e o farei à bordo de nosso parapente LittleCloud Gyps (EN D). A 1a competição será a etapa final do Valadarense nos próximos dias 12 a 14 de janeiro. O maior objetivo será a demonstração das capacidades de nossa vela avançada, de baixo peso e nascida para o XC e Trekking&Fly, também no cenário das corridas de parapente.

Meu cockpit terá como dispositivo principal para navegação e registro das provas o novo Volirium P1 (antigo Flytec Connect 1). O P1 ainda não é a melhor ferramenta para super voos XC pela falta de mapa relevo e topo mas, sem dúvida, é um equipamento fantástico para navegação de provas de competição. Neste quesito, garanto que a união entre praticidade de carga e descarga de dados, simplicidade para montagem e configuração das rotas de competição e grande tela sensível ao toque tornam o P1 uma das melhores opções do mercado para competições race de parapente ou asa delta.



Bom, cada um pode planejar a história que desejar, mas é bom que meta a mão na massa para que ela, seja qual for, vire um belo livro escrito. 

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

A família LittleCloud Brasil deseja: FELIZ NATAL!!!

Trazendo para o Brasil um conceito de voo divertido, seguro e do seu jeito, a Família LittleCloud Brasil deseja a todos um FELIZ NATAL e PRÓSPERO ANO NOVO!!!
Nosso presente para vocês não poderia ser outro:
(Válidos para os produtos em estoque durante todo mês de Dezembro/2017)



sábado, 4 de novembro de 2017

LittleCloud - Modos de Usar

Confira em nosso infográfico os usos mais adequados e possíveis de nossos parapentes e descubra o que nossa família de produtos pode fazer com você. Permita-se o novo!!!


quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Pilotando Mini Velas - Spiruline

Acredito que ainda exista muitas dúvidas, curiosidades e cismas quando se escuta falar da marca LittleCloud. Vamos nos divertir com este vídeo em que podemos conferir a versatilidade e prazer inclusos no pacote deste conceito nas mãos do expert Jean Baptiste Chandelier e nosso designer Tom.
Atualmente a LittleCloud também oferece parapentes para XC mais sério e também competições na categoria Serial (EN-D).

Divirtam-se:

domingo, 29 de outubro de 2017

LittleCloud Brasil - Política Comercial

Alguns pilotos que já revenderam ou revendem outras marcas/produtos para o voo livre têm entrado em contato para saber de nossa política comercial e informações de como se tornar revendedores LittleCloud Brasil.
O DNA da LittleCloud é completamente diferente e incompatível com as políticas comerciais em prática, principalmente no Brasil, para produtos de voo livre. Nosso produto é completamente voltado para a diversão outdoor no voo térmico ou dinâmico em montanhas, morros, encostas e/ou motorizado.
Não oferecemos o melhor parapente em velocidade final, não oferecemos o melhor parapente para subidas em térmicas, não oferecemos o melhor parapente em planeio... essa não é a proposta da LittleCloud. São perguntas que não nos fazem sentido algum.
A LittleCloud tem um compromisso com a diversão, o prazer e a segurança na prática do voo livre em qualquer de suas abordagens. Então, antecipando, oferecemos produtos para pilotos que sabem o que querem e, nesta sua resolução interna individual, buscam prazer, diversão e segurança no seu equipamento de voo.
Sabendo o tamanho do desafio que é implantar a marca trabalhando com uma política honesta, transparente e direta neste meio, no momento estamos trabalhando apenas com vendas diretas e/ou através de alguns contatos que fazem parte da família LittleCloud Brasil.
Não queremos ser o maior vendedor de equipamentos do Brasil nem da região X, Y ou Z. Queremos apenas entregar aos pilotos exatamente aquilo que buscam, se tivermos o produto adequado para satisfazer a necessidade.

Atenciosamente, 

Família LittleCloud Brasil

Contatos:

Júnior CB - Vila Velha/ES(BRA)
27 98159-6720 (TIM - WhatsApp)
junior_wanderlei@yahoo.com.br

terça-feira, 24 de outubro de 2017

LittleCloud Brasil - Traduzindo para você!!!

Amigos, confiram a tradução de conteúdo de nossa marca LittleCloud.
Está quase tudo pronto para facilitar seu acesso ao descritivo de nossos produtos, filosofia e tudo mais.
No link abaixo você decide se quer navegar no site oficial, que abre em inglês mas você pode optar por alemão ou francês também, ou se quer navegar na versão Brasil.

Experimente o novo!
 Link LittleCloud

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Little Cloud Spiruline GT - Marca Histórica


Apresento a vocês o parapente SPIRULINE GT, da marca francesa LITTLE CLOUD, meu novo parceiro nestas aventuras pelo mundo do voo livre.
O Spiruline GT, que chamamos simplesmente de GT, é uma mini vela híbrida, que tanto serve para as brincadeiras com ventão e descida das montanhas como também para (acreditem se quiser) diversão em voos térmicos locais ou XC por diversão. 


Para apresentar o GT ao público na prática, decolei e parti primeiro para um momento diversão com o bom vento que estava entrando na rampa. A vela é bem pequena, tem pouca linha, o piloto voa mais perto do velame... um verdadeiro brinquedo. Estava usando o conjunto próprio para baixo peso (GT + selete reversível Turtle + reserva Alfacross 1.2kg).





É importante ressaltar que este parapente é um parapente adequado para as brincadeiras na rampa, diferente de um parapente normal/tradicional (ou como queiram chamar). Estas mini velas aceitam uma enorme redução do ângulo de ataque sem colapsar. Elas trabalham com uma ENORME energia e grande pressão interna... incomparável nos parapentes normais. Então, entendam que o grau de segurança deste brinquedo é absurdamente adequado para o que se propõe, desde que do outro lado também haja um piloto com a técnica para lidar com as velocidades e taxas de afundamento diferenciadas.



Depois da sessão 4fun, brincando com ventão e até com as entradas de térmicas e demonstrando o grau de adequação do GT para uma brincadeira segura, parti para o voo térmico para demonstrar a aplicabilidade do brinquedo também nesta abordagem do voo.





Fui pra base com a galera me divertindo e também entendendo algumas caracteristicas do parapente para ir adequando a pilotagem para um melhor rendimento. Por ser uma vela pequena e ter grande velocidade, é preciso reaprender a enroscar para evitar desperdício de energia. Um fato é que nas térmicas mais fracas o GT sofre muito para subir e nas térmicas mais fortes ele tira grande vantagem de sua maior velocidade e menor raio de giro para aproveitar mais os núcleos. Um espetáculo de diversão. Um detalhe bem interessante: enquanto a galera sofre nas turbulências, o GT surfa com uma estabilidade abusrda. Em vários momentos eu simplesmente clipava o freio externo no tirante e voava segurando apenas o freio de dentro dosando a velocidade e amplitude do giro... muita diversão.


Momento divertido fazendo uma tirada com o parceiro Capitão (Willame) de Imperatriz-MA. Não tinha como ele acompanhar... a diferença de velocidade do GT para o Rush 4 era muito grande. À frente estavam o Jean (Sigma) e Ney (Aspen) e fui buscá-los numa velocidade impressionante.


Um momento bem interessante foi na travessia do rio araguaia, sobre Araguatins. A turma da frente se atrapalhou, eu enchi o tanque para compensar a diferença de performance (coisa óbvia) e acabei alcançando todos logo na entrada do Pará. 


A turma pegou o final de ciclo e fez uma opção lateral para sul e eu acabei fazendo uma opção adiante, para oeste. Acabei pegando a frente do voo e assim segui sozinho pela esquerda da transamazônica. A turma ficou para trás mas acabou, ao final, tirando vantagem de estarem voando em 5 pilotos e pousaram juntos com pouco mais de 100km... eu tive que lidar com uma mudança de rota e uma grande sombra sozinho e cai no 84km, fazendo o maior voo de distância livre da história numa mini vela (O MAIOR VOO DE DISTANCIA LIVRE DA HISTÓRIA).


Pousei dentro do pátio do posto na Vila Santana, às margens da rodovia transamazônica. Queria muito ter feito os 3 dígitos com a vela, que era a missão, mas não vai faltar oportunidade. O mais importante ficou provado mais uma vez: QUEM LEVA UM PILOTO LONGE É SUA EXPERIÊNCIA E SUAS DECISÕES NÃO SEU PARAPENTE.

Grande abraço a todos do time

LITTLE CLOUD BRAZIL